Tudo que você precisa saber sobre Previdência Privada

VGBL ou PGBL? Sistema Progressivo ou Regressivo? Carregamento? Na entrada ou na saída? É muito comum as pessoas fazerem planos de previdência privada sem entender as diferenças entre os planos, sistemas de tributação e custos.

A previdência privada é uma modalidade de aplicação financeira cujo principal objetivo é garantir uma renda mensal no período em que você quer parar de trabalhar, por algum motivo especial, ou simplesmente deseja se aposentar. Apesar de ser um investimento facultativo, a Previdência Privada é, hoje, uma alternativa bastante procurada pelos brasileiros, com o objetivo de complementação de renda.

Para contratar um Plano de Previdência Privada, de acordo com o seu perfil, é necessário seguir 3 passos importantes. O primeiro deles é a escolher a modalidade (PGBL ou VGBL), o segundo é escolher o regime de tributação (Tabela Progressiva ou Regressiva), e o terceiro são avaliar os custos.

 

PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre)

Esse plano é recomendado para pessoas que fazem a declaração anual de imposto de renda no modelo completo e contribuem para o INSS, pois possui um benefício fiscal onde se pode abater até o limite de 12% da base de cálculo (Renda Bruta), na declaração de IR.

Devido a esse benefício fiscal o imposto de renda pago pelo investidor no momento do resgate ou pagamento do benefício incidirá sobre o valor total resgatado e não apenas sobre o rendimento, como outras aplicações tradicionais, ou seja, se você possui um plano PGBL e não faz a declaração anual de IR no modelo completo ou não usufrui do benefício fiscal, esse plano deixa de ser vantajoso.

Veja, no exemplo abaixo, a vantagem da redução do Imposto de Renda devido, considerando apenas as suas contribuições do Plano de Previdência Privada (PGBL).

2

*Tabela Progressiva para o cálculo anual do IR de Pessoa Física, exercício de 2015, ano-calendário 2014, segundo a lei 9.532, de 10/12/1997.

 

VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre)

Já o VGBL é similar a uma aplicação financeira tradicional, indicada para aqueles que fazem a declaração de IR no modelo simplificado ou são isentos. Também indicada para quem deseja aplicar mais de 12% da sua Renda Bruta em Previdência Privada.

O imposto de renda incide apenas sobre os rendimentos, as contribuições realizadas não são tributadas.

 

Tipos de tributação

O plano com tabela progressiva de IR é ideal para quem tem objetivos de curto e médio prazos. Esse tipo de tributação pode ser escolhido tanto para o plano PGBL quanto o VGBL, lembrado que se escolhido o plano PGBL a tributação será sobre o saldo total do plano.

O imposto obedecerá a uma Tabela exclusiva que a receita federal impõe todos os anos.

3

*Tabela Progressiva para o cálculo anual do IR de Pessoa Física, exercício de 2015, ano-calendário 2014, segundo a lei 9.532, de 10/12/1997.

Na tabela regressiva as alíquotas são decrescentes em função do tempo de permanência do plano e cada contribuição. Ideal para quem tem objetivos de longo prazo.

4

Outros pontos importantes a se analisar antes de começar um plano de previdência são os custos, pois isso influenciará diretamente na rentabilidade e no saldo final.

Os planos de previdência geralmente cobram taxas de administração e carregamento, este último pode ser sobre as contribuições mensais (entrada) ou no resgate (saída).

Alguns planos possuem taxas de carregamento de saída decrescentes, podendo ser reduzida a zero após alguns anos caso o saldo permaneça aplicado, dê preferência a estes.

Veja abaixo um comparativo e o impacto dos custos no saldo final entre dois planos.

Comparativo considerando aportes mensais de R$ 500,0 durante 30 anos.

5

 

Mas o que fazer caso você acabou de descobrir que o plano que possui não é o ideal para o seu perfil e planejamento?

Os planos de previdência assim como os celulares, possuem portabilidade, ou seja, você pode procurar um novo plano, de acordo com seu perfil e transferir seu saldo para outro mais vantajoso.

Lembrando que todo setor de previdência privada é fiscalizado pela Superintendência de Seguros Privados (Susep), órgão do governo federal, isso dá a possibilidade para que os investidores possam procurar por seguradoras independentes, que geralmente possuem planos bem vantajosos.

 

Bons investimentos!!

Danilo Cesar Cocchia

Assessor de Investimentos